Sociedade

GNR de Caldas da Rainha apreende mais de 18 mil doses de droga

Quatro detenções por narcotráfico, roubos e furtos na Região Oeste

A GNR de Caldas da Rainha apreende umais 18 mil doses de droga, fez quatro detenções e identificou oito suspeitos de tráfico de estupefacientes, roubos e furtos na Região Oeste.

As buscas seguiram-se a uma investigação, que decorria há cerca de cinco meses, pelos crimes de furto de máquinas de tabaco do interior de estabelecimentos, tráfico de estupefacientes e roubos com recurso a arma branca e força física, ocorridos entre agosto de 2018 e janeiro de 2019, nos concelhos de Nazaré, Caldas da Rainha, Alcobaça, Peniche, Óbidos, Lourinhã, Torres Vedras e Oeiras.

Foram executados15 mandados de busca, das quais seis em residências e anexos, e nove em veículos, culminando na detenção de quatro indivíduos e na identificação de oito suspeitos, tendo sido detidos quatro homens e identificados outros oito homens, com idades entre os 17 e 22 anos, por suspeita de tráfico de droga e 41 crimes de roubo e furto.

No decorrer das buscas foram apreendidas 18.062 doses de haxixe, 357 doses de cocaína.

340 doses de MDMA e 61 selos LSD, além de 3.270 euros em numerário, 12 telemóveis, cinco televisões, material de som (mesa de mistura, colunas, microfone, dois fornos, um frigorifico, uma máquina lavar roupa, um tablet e uma balança precisão.

Dos quatro detidos, com antecedentes criminais por crimes de furto, roubo e tráfico de estupefacientes, dois serão presentes esta sexta-feira no Tribunal Judicial de Leiria, disse hoje o comandante do Destacamento Territorial GNR de Caldas da Rainha, capitão Hugo Carneiro.

Sobre um dos detidos havia um mandado para cumprimento de pena de prisão efetiva, de um ano e seis meses, pela prática dos crimes de furto e condução ilegal, tendo sido transportado para o Estabelecimento Prisional de Caldas da Rainha.

Os restantes oito suspeitos foram constituídos arguidos e sujeitos à medida de coação de termo de identidade e residência, segundo informou a GNR.

A ação contou com o apoio de 137 militares dos Comandos Territoriais de Leiria, Lisboa, Santarém e da Unidade de Intervenção da Guarda Nacional Republicana.

Desta ação resultou ainda a elaboração de dez autos de notícia por contraordenação, dos quais cinco relacionados com a detenção de cães potencialmente perigosos, por falta de vacina, de licença da junta de freguesia; de condições de habitabilidade; de esterilização e de formação para detenção de cães potencialmente perigosos,

Os outros autos dizem respeito à detenção de animais de companhia, por falta de registo na junta de freguesia, de vacinação antirrábica, falta de identificação eletrónica e um por falta de identificação de equídeo, bem como um por detenção de ave autóctone, tendo a mesma sido libertada no seu habitat natural.