Sociedade

Escola voltou a ser encerrada em Vieira do Minho

A Escola Básica e Secundária Vieira de Araújo, o principal estabelecimento de ensino de Vieira do Minho, voltou a ser encerrada, com cadeados e aloquetes, ao princípio da manhã desta sexta-feira, como forma de protesto pela indefinição quanto ao início das obras de remodelação, que inclusivamente tem telhados de amianto.

Eduardo Ferreira
Eduardo Ferreira
Eduardo Ferreira
Eduardo Ferreira

A Associação de Pais do Agrupamento de Escolas Vieira de Araújo manteve assim nesta sexta-feira a continuidade do encerramento da escola, porque “até ao momento ainda não tivemos nenhuma resposta por parte da tutela”.

“Reiteramos que o nosso protesto cívico e ordeiro continuará enquanto não forem ouvidas as nossas reivindicações, pois queremos uma escola moderna, requalificada, sem amianto, sem chuva e sem frio nas salas de aula, queremos o que muitas escolas no resto do país já têm”, diz aquela associação vieirense.

“Quanto às centenas de manifestantes que entre pais e alunos protestaram contra aquilo que consideramos uma falta de respeito do Governo de Portugal para com os vieirenses, agradecemos a todos aqueles que estiveram na ação de protesto frente à Escola Básica e Secundária Vieira de Araújo”.

“Não queremos luxos, nós só queremos é conforto, para os nossos alunos, professores e assistentes operacionais poderem estudar e trabalhar sempre em condições que promovam o sucesso escolar”, refere a associação presidida por Paulo Magalhães.

“Queremos que as obras se concretizem, pois estas são pagas com os nossos impostos e apelamos ao Doutor Tiago Brandão Rodrigues que tome o assunto em mão e juntamente com o seu Gabinete e com o Município de Vieira do Minho e seus parceiros cheguem a um entendimento para o início da requalificação e da modernização da Escola Básica e Secundária Vieira de Araújo”, salienta a mesma associação.