Sociedade

Derrocada na praia Maria Luísa. Dez anos depois, Estado vai a tribunal

Famílias das vítimas exigem uma indemnização de 911 mil euros

O julgamento do Estado pela derrocada na praia Maria Luísa, em Albufeira, arranca no próximo dia 15 de março.

Segundo um despacho do Tribunal Administrativo e Fiscal de Loulé, citado pela agência Lusa,  o Estado vai responder pelo pedido de indemnização civil de 911 mil euros, apresentado pelas famílias das cinco pessoas que, a 21 de agosto de 2009, perderam a vida naquela praia.

Manuel Marques Pereira, que perdeu a filha nesta tragédia, morreu antes de "ter visto ser feita a justiça que reclamava", explicou agora o advogado que representa a sua família. “Resta esperar que no futuro o Estado seja mais diligente na prevenção destes graves acidentes" e saiba "assumir as suas responsabilidades perante as vítimas da sua incúria", acrescentou Pedro Proença.

Recorde-se que todas as famílias envolvidas nesta tragédia eram turistas que passavam férias no Algarve.: um casal, de 59 e 57 anos, e as duas filhas, de 31 e 26, que residiam em Ramalde, no Porto, e uma mulher de 37 anos, que era residente em Marco de Canavezes. A derrocada provocou ainda ferimentos no namorado de uma das vítimas, que na altura tinha 24 anos, e nas filhas da quinta vítima, com 11 e 16 anos.

As famílias das vítimas consideraram que houve "omissão de deveres que competem ao Estado, através de diversos institutos, porque havia uma falésia que tinha de ser monitorizada para não constituir risco". Apesar das placas colocadas, "não foi avaliado o risco real do que poderia representar a queda da falésia".