Internacional

Guaidó garante estar a “fazer todos os possíveis para salvaguardar a comunidade portuguesa” na Venezuela

 “Caracas é hoje a capital mais violenta do mundo”

Juan Guaidó, autoproclamado presidente interino da Venezuela, garantiu esta sexta-feira estar a a “fazer todos os possíveis” para “salvaguardar a comunidade portuguesa” no país e “não só”.

Em entrevista à RTP, o também presidente presidente da Assembleia Nacional da Venezuela relembrou que “na Venezuela houve 700 mil mortos em 15 anos” sendo que “Caracas é hoje a capital mais violenta do mundo”.

Guaidó elogiou ainda a comunidade portuguesa por ter levado à indústria e comércio venezuelano “um grande desenvolvimento”.

O autoproclamado presidente Interino da Venezuela garantiu que o seu objetivo é salvaguardar a população, tanto portugueses como também “a comunidade italiana, a comunidade espanhola e também os venezuelanos, que estão a ser perseguidos”.

 “Os nossos aborígenes e os nossos indígenas no Sul estão a ser massacrados para serem integrados em grupos irregulares como o Exército de Libertação Nacional e em grupos terroristas que além do mais vão comprar armas à Colômbia”, afirmou, acrescentando ainda que  “a situação na Venezuela é muito crítica” e que “a situação humanitária é muito grave”.