Politica

CAP. "Quando se fala nas touradas, quando se fala da caça, nenhum partido arrisca", diz Luís Mira

Secretário-geral da Confederação da Confederação de Agricultores (CAP) foi ao congresso da Aliança como convidado. E pediu ao partido que "entenda" os valores do mundo rural. E foi aplaudido.

O secretário-geral da CAP, Luís Mira, discursou este sábado no primeiro congresso da Aliança, com vários apelos aos partidos, em particular à nova força politica. "Quando se fala nas touradas, quando se fala da caça, nenhum partido arrisca, ninguém se arrisca a defender esses valores sem medo. E há pessoas que querem viver assim". A frase de Luís Mira, já no final da sua curta intervenção, mereceu apalusos da sala. O dirigente deixou expresso o que espera do Aliança: Que "venha fazer também aqui a diferença". Isto é, "entender aquilo que é a vida do mundo rural e aqueles que são os valores do mundo rural".

Luís Mira acrescentou que a sociedade, e em particular, os partidos, "têm receio, para não dizer vergonha" dos valores e modo de vida do mundo rural. Uma ideia que espera ver contrariada no Aliança. 

Antes, lembrou que o desenvolvimento rural tem um corte de 17,5 por cento em Portugal, enquanto em França é de 4,5 por cento, no que toca a fundos comunitários. E aí surgiu a critica ao primeiro-ministro: "Alguns políticos dizem que as vacas voam, mas na verdade as vacas não voam".

Após esta intervenção, o congresso ouviu três hipóteses para o hino oficial, marcha e hino de campanha. A versão mais aplaudida foi a António Pinto Basto. A concurso estão ainda duas versões, de José de Câmara e Carlos Pinto. Os militantes poderão escolher as músicas na plataforma www.partidoalianca.pt".