Economia

Trabalhadores da Moura Fábrica Solar querem nacionalizar empresa e pedem reunião com Costa

Além de trabalhadores e antigos trabalhadores, o pedido de reunião tem o apoio da Campanha Emprego para o Clima e do Sindicato dos Trabalhadores da Energia e Águas de Portugal. 

dr  

Depois do governo português ter lançado leilões de potência solar, de mais de 2000 MW, no Plano Nacional de Investimentos 2030, trabalhadores e antigos trabalhadores da Moura Fábrica Solar (MSF) querem uma reunião com o primeiro-ministro, António Costa, a fim de privatizar a empresa. Este pedido de reunião tem o apoio da Campanha Emprego para o Clima e do Sindicato dos Trabalhadores da Energia e Águas de Portugal. 

Em comunicado, a Campanha Emprego para o clima explica que a MSF conta com mais de 100 trabalhadores especializados e garante poder abastecer "edifícios públicos, escolas e outros, apoiando a transição energética e o combate às alterações climáticas". A Campanha apela ainda que os técnicos não sejam desperdiçados e encontrem empregos fora do país, uma vez que esta é uma área crucial para Portugal. 

A MSF foi classificada como Empresa de Interesse Público para a Economia da Região num concelho do interior com a maior taxa de desemprego do país.