Politica

Irmã de Rui Moreira número dois às europeias

Lista do Aliança ainda não foi apresentada oficialmente, mas já está definida. A empresária Maria João Moreira, irmã de Rui Moreira, será a número dois de uma lista paritária.

O novo partido de Santana Lopes anunciou Paulo Sande, antigo consultor de Presidente da República, como cabeça de lista às europeias já em dezembro do ano passado. O resto da lista ainda não foi apresentada oficialmente, mas já está definida. E a número dois será Maria João Moreira, irmã do presidente da Câmara Municipal do Porto, Rui Moreira.

Maria João Moreira tem 52 anos e é empresária. Foi diretora comercial da empresa têxtil Riopele e trabalhou também na Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal (AICEP) e no Portugal Fashion. Depois disso, fundou uma empresa em Milão, que entretanto foi vendida a um fundo. Maria João Moreira foi casada com João Espregueira Mendes, ex-gestor do banco Mello, que foi condenado a seis anos de prisão por burla qualificada, em 2008.

A proximidade entre Santana Lopes e Rui Moreira é conhecida. E o nome do presidente da Câmara do Porto chegou mesmo a ser falado para cabeça de lista do Aliança às europeias. Uma suspeita que foi, diversas vezes, alimentada por Santana. «Largos dias têm 100 anos», era a resposta usada pelo antigo primeiro-ministro quando lhe perguntavam por uma aliança com Rui Moreira. Já o autarca afastou sempre essa hipótese e deixou claro que não queria ser associado ao novo projeto político de Santana Lopes.

Ainda assim, no dia em que o Tribunal Constitucional reconheceu o Aliança como partido político, Santana Lopes escolheu o Porto para a primeira ação como presidente da nova força política. Almoçou com Rui Moreira e passearam juntos pelo mercado do Bolhão.

Dias depois, em entrevista ao SOL, Santana Lopes esclareceu que nunca pensou no nome de Rui Moreira para cabeça de lista do Aliança às europeias. O antigo primeiro-ministro explicou que tem uma amizade com o autarca do Porto «há muitos anos» e que os encontros entre os dois não têm qualquer significado político. «Sempre almoçámos e jantámos quando eu vou ao Porto ou quando ele vem a Lisboa. Fui ao Norte e aproveitei para estar com ele. Não quer dizer nada politicamente», garantiu.

 

Lista paritária

A lista do Aliança às eleições europeias é paritária. Para número três, Santana Lopes escolheu Bruno Ferreira Costa, vice-presidente do novo partido e um dos

dirigentes que ajudou na elaboração da Moção Estratégica Global, apresentada no congresso do fim de semana passado, em Évora. Tem 35 anos e é professor de Ciência Política na Universidade da Beira Interior.  No lugar seguinte da lista, aparece Daniela Antão, a secretária-geral da Associação dos Operadores de Telecomunicações (APRITEL).

O número cinco será João Gonçalves, que foi adjunto de Miguel Relvas, quando este era  ministro dos Assuntos Parlamentares. João Gonçalves é autor do ‘Portugal dos Pequeninos’.

As eleições europeias serão a estreia do Aliança. Em entrevista ao SOL, na semana passada, o cabeça de lista do novo partido de Santana Lopes, Paulo Sandes, afirmou que eleger três deputados seria um «bom» resultado. Se isso for conseguido, o Aliança ficará na «pole position do novo espetro partidário que em Portugal inevitavelmente se está a criar», defendeu Sande.