Internacional

Sondagens dão maioria de direita em Espanha

As sondagens dão uma maioria de direita em Espanha, devido ao surgimento do partido de extrema-direita Vox, que se poderá aliar com o PP e o Ciudadanos, como ocorrido para o governo da Andaluzia

As sondagens projetam uma maioria absoluta para o direita em Espanha, nas eleições legislativas antecipadas pela queda do governo do primeiro-ministro Pedro Sánchez. Um dos pontos chaves dessa maioria é o surgimento do partido de extrema-direita Vox, que irá pela primeira-vez conseguir assento parlamentar, com 19 a 22 deputados, segundo a sondagem do NC Report. Caso se repita a nível nacional o acordo feito na Andaluzia, PP, Ciudadanos e Vox teriam juntos 181 a 188 deputados, conseguindo largamente passar o patamar da maioria absoluta, 176 deputados. 

Além disso, o PP poderá ultrapassar o PSOE de Sánchez como primeira força política, estando aos dois praticamente empatados, com o PP com entre 97 a 100 deputados e o PSOE com entre 96 e 99. Quem está em piores lençóis é o Podemos, que enfrenta um divisões internas, e arrisca-se a perder mais de 25 deputados. Esta perda torna ainda mais difícil que o PSOE repita a solução governativa que sustentou o governo de Sánchez, que juntou no parlamento PSOE, Podemos e as forças independentistas. Estes partidos teriam juntos apenas 169 deputados, um número abaixo do necessário. Para além dos independentistas estarem em confronto com os socialistas, devido ao polémico julgamento dos líderes catalães presos.  

Uma coligação do PSOE e Ciudadanos também é um cenário improvável. Não apenas porque os líderes de ambos os partidos descartam em absoluto qualquer aproximação, já tendo havido reviravoltas mais estranhas, tendo havido tentativas de tal na Andaluzia. No entanto, o PSOE e o Ciudadanos teriam em conjunto apenas 161 a 165 deputados, precisando de uma terceira força política para conseguir uma maioria. Um cenário que dificilmente terá o apoio do Podemos ou do Vox.