Internacional

Bernie Sanders irá concorrer às primárias democratas de 2020

O senador Bernie Sanders, que disputou de perto a nomeação democrata em 2016 contra Hillary Clinton, anunciou que irá concorrer às presidênciais de 2020. Pretende conseguir "justiça económica, social, racial e ambiental".

O senador Bernie Sanders, que disputou de perto a nomeação democrata em 2016, contra Hillary Clinton, anunciou hoje que irá concorrer às presidênciais de 2020. O senador do Vermont liderou uma campanha à esquerda do partido democrata, baseada em ativistas locais, que acabou por moldar o partido, sendo a primeira de uma onda de candidaduras com ideais socialistas. 

O anúncio foi feito esta terça-feira, através de um email aos seus apoiantes, onde afirma querer construir "uma campanha histórica, sem precedentes, baseada em ativismo de base". Garante que o objetivo não é apenas "derrotar Donald Trump, o mais perigoso presidente americano da história moderna", mas sim "tranformar o país e criar um governo baseado nos príncipios de justiça económica, social, racial e ambiental". "Esta campanha é a continuação do que fizemos em 2016", declarou hoje Sanders, numa entrevista à CBS. 

Entre as prioridades do senador estão a criação de um serviço de saúde pública nos EUA, o combate ao endividamento estudantil, às alterações climáticas, à desigualdade social e à criminalização de migrantes, tal como defendendo o controlo da posse de armas. 

Tendo estado a poucos delegados de ser o candidato democrata em 2016, em vez de Hillary Clinton, Sanders começa a campanha numa relativa boa posição. O senador independente é uma das personalidades mais admiradas e respeitadas na esfera política dos democratas, para além de já ter bases estabelecidas na maioria dos estados. No entanto, Sanders foi perdendo muito do apoio e das bases que construíu desde a campanha presidencial. Por exemplo, no Iowa e no New Hampshire, onde conseguiu respetivamente 50% e 60% dos votos, o apoio ao senador desceu para cerca de 30%.