Desporto

Éber Bessa: "Jamais aceitaria ser pago para lesionar outro jogador"

O médio do Vitória de Setúbal considera que o portista Danilo se lesionou num "lance normal de futebol" e lembra até que é amigo do internacional luso, de quem foi colega no Marítimo

Os ecos da última jornada ainda se vão fazendo sentir - como é hábito no futebol português -, e neste caso com acusações graves dirigidas a um jogador do Vitória de Setúbal, na sequência da lesão sofrida por Danilo no encontro entre o FC Porto e os sadinos. O internacional português lesionou-se numa disputa de bola com Éber Bessa e durante a semana o diretor de comunicação dos dragões, Francisco J. Marques, insinuou que o médio brasileiro do Vitória teria recebido dinheiro por uma terceira parte (Benfica) para causar lesões a jogadores portistas - no caso, Danilo.

Esta quinta-feira, em declarações reproduzidas pelo site do clube do Bonfim, Éber Bessa garantiu não ter tido qualquer intenção de lesionar Danilo, de quem foi colega de equipa no Marítimo (2014/15). "O Danilo é meu amigo, jogámos juntos no Marítimo. Foi um lance normal de futebol e logo a seguir fui pedir-lhe desculpas. Se fosse um lance maldoso o vídeo-árbitro teria intervindo. Infelizmente o Danilo lesionou-se. No final do jogo até trocámos de camisolas", salientou, completando: "Não é fácil ouvir o que ouvi. Não tenho mau caráter, só penso em jogar, por isso devem rever tudo o que disseram. Deviam ter ficado calados antes de levantarem falsos testemunhos. Só respondo por mim, jamais aceitaria ser pago para lesionar um jogador. Não me respeitaram e vou falar com o meu advogado para analisarmos a situação."

Éber Bessa abordou ainda a expulsão no Dragão, aos 53 minutos, com o árbitro Nuno Almeida a entender que o médio simulou uma grande penalidade e a exibir-lhe o segundo amarelo. "O árbitro não ajuizou bem o lance da minha expulsão. O jogador do FC Porto toca em mim, tenho inclusive essa foto, tentei levantar-me rapidamente e ele mostra-me amarelo por simular uma grande penalidade. É um lance que não tem discussão, mas que o árbitro entendeu de outra forma", frisou.