Economia

Banco de Portugal condena Tomás Correia

Em causa estão processos de contraordenação por falhas no sistema de controlo interno do banco. Banco Montepio também foi multado

Tomás Correia foi condenado pelo Banco de Portugal a pagar uma multa de 1,5 milhões de euros, depois de o regulador ter detetado falhas enquanto exercia o cargo do presidente do agora denominado Banco Montepio, entre 2008 e 2015. Entre os crimes, além das falhas no controlo interno, o Banco de Portugal aponta o não respeito pelas normativas definidas nos regulamentos, que justificaram a concessão de crédito de financiamentos de elevado montante a alguns clientes, nomeadamente a Paulo Guilherme e a José Guilherme. 

Além de Tomás Correia, outros sete administradores executivos também foram condenados, assim como a instituição financeira do Montepio, que terá de pagar uma multa de 3,5 milhões de euros. Ao todo foram identificados sete tipos de ilícitos.

Ao que o SOL apurou,  Tomás Correia e os restantes visados pela condenação ainda não foram notificados da decisão do regulador.