Economia

80% dos portugueses diz que a autonomia é o ponto fraco dos veículos elétricos

"Os condutores franceses e alemães são os mais exigentes quanto à autonomia, pois em ambos os casos 38% dos inquiridos aponta os 500 km como o nível a partir do qual estarão dispostos a adquirir um veículo elétrico", conta o Cetelem 

A atual autonomia dos veículos elétricos é uma das razões pelas quais grande parte dos portugueses não opta pela compra deste tipo de automóvel. Segundo o Observador Automóvel 2019 da Cetelem, são 80% os portugueses auferidos que veem como ponto negativo o limite baixo da autonomia. No caso global, esta percentagem é de 83%.

No top dos maiores motivos para os inquiridos, 88% afirma ser essencial ter um ponto de carregamento em casa ou no trabalho. No caso português, são 80% as pessoas que destacam a importância de um local acessível para carregar a bateria do carro. O preço é também um ponto negativo. 

Grande parte das respostas nacionais, 84%, considera que os postos de carregamento públicos nas estradas são insuficientes, um resultado 8% mais altos que a média a nível global. No entanto, 44% dos portugueses diz que os postos existentes estão bem localizados, 4%."E mais de metade dos portugueses (68%) associa um tempo de carregamento longo a um veículo 100% elétrico, enquanto a média europeia é de 75%", escreve a Cetelem. 

26% dos portugueses admite apenas comprar um veículo elétrico quando estes ultrapassarem os 500 quilómetros de autonomia, enquanto 16% está disposto a adquirir um com as condições atuais. Para 49% dos portugueses, o limiar da autonomia situa-se nos 49%. 

"Os condutores franceses e alemães são os mais exigentes quanto à autonomia, pois em ambos os casos 38% dos inquiridos aponta os 500 km como o nível a partir do qual estarão dispostos a adquirir um veículo elétrico", conta o Cetelem.