Sociedade

GNR interveio por confrontos físicos entre familiares em Braga

Diretor-geral de empresa diz ter sido agredido já por duas vezes

A GNR de Braga teve de intervir face a confrontos entre vários familiares desavindos dos universos empresariais da Arlindo Correia & Filhos e da Socicorreia, no Parque Industrial de Celeirós, em Braga, diversas vezes durante todo o período laboral desta segunda-feira.

O diretor-geral da Arlindo Correia & Filhos, Filipe Correia, foi um dos agredidos no meio da confusão, segundo referiu às autoridades policiais, revelando “ser já a segunda vez no espaço de um mês que me agridem”, por isso iria apresentar já queixa criminal depois de receber tratamento hospitalar, porque afirmou conhecer bem a identidade dos agressores.

Segundo terá sido já referido à GNR, tudo terá começado quando um agente de execução apareceu de manhã nas instalações comuns a ambos os grupos empresariais, em Celeirós, Braga, alegadamente “só para ser cumprida uma decisão judicial”, tendo trocado o quadro elétrico que serve o edifício, a mando da empresa Socicorreia, devido a uma ação cível já movida por Custódio Correia, que alega uma sentença do Tribunal Cível de Braga, que já lhe dá direitos a usufruir de espaços comuns neste estaleiro, que diz ter sido impedido até esta semana, por isso impor-se a mudança do contador elétrico, informou o Semanário V.

Entretanto, os visados na ação, do Grupo Arlindo Correia & Filhos, reagiram, alegando o suposto abuso do agente de execução, tendo-se interposto perante o solicitador, altura em que foi chamada uma patrulha da GNR, já reforçada com o Destacamento de Intervenção da Guarda Nacional Republicana, que se manteve de prevenção durante todo o dia, tendo evitado os novos confrontos físicos entre os familiares do Clã Correia, que está dividido, pelas sucessivas desinteligências quanto à divisão do património familiar que era comum.

António Correia, o presidente do Grupo Arlindo Correia & Filhos, mantém ações judiciais com o seu irmão Custódio Correia e parte das quais pela posse das firmas da Socicorreia.

A Socicorreia ficou de emitir um comunicado acerca dos incidentes, o que ainda não fez, admitindo-se que o possa fazer ainda durante esta quarta-feira, devido a hoje ser feriado.