Internacional

'Apagão' na Venezuela já matou 15 doentes renais por falta de diálise

Quatro destas mortes ocorreram no Hospital Miguel Pérez Carreño, em Caracas

Na sequência do ‘apagão’ que se faz sentir na Venezuela, há mais de 50 horas consecutivas, quinze doentes renais morreram. Em causa está a falta de diálise.

A informação é avançada por uma organização defensora do direito à saúde e à vida, a Codevida.

Quatro destas mortes ocorreram no Hospital Miguel Pérez Carreño, em Caracas.

“A situação das pessoas com insuficiência renal é muito crítica. Queremos dizer que 95% das unidades de diálise, que hoje chegariam a 100%, estão paralisadas devido ao corte de luz”, disse Francisco Valencia, diretor da Codevida, citado pela AFP.

Nicolás Maduro falou pela primeira vez deste ‘apagão’ e atribui a origem do mesmo a um  “ataque cibernético internacional” feito com “tecnologia de alto nível que só o governo dos Estados Unidos é que tem”.

No entanto, em declarações à imprensa venezuelana, especialistas em energia já desmentiram a versão de Maduro e garantem que a rede elétrica venezuelana é anterior à Internet, o que impossibilita que seja atacada remotamente.