Internacional

Jihadista francês condenado a prisão perpétua por “homicídios terroristas” em Bruxelas

O Coautor dos ataques foi condenado a 15 anos de prisão por fornecer as armas utilizadas nos ataques.

O jihadista francês Mehdi Nemmouche foi ontem condenado a prisão perpétua pelos quatro "homicídios terroristas" cometidos a 24 de maio de 2014 no Museu Judaico de Bruxelas, anunciou o tribunal judicial da capital belga.

Além de Nemmouche, também o seu coautor foi condenado a 15 anos de prisão por ter ficado provado que este era o culpado de fornecer as armas a Mehdi Nemmouche, explicou o tribunal, citado pela imprensa internacional.

Recorde-se que Mehdi Nemmouche foi declarado culpado no dia 7 de março deste ano, mas rejeitou sempre as acusações, tendo afirmado que tudo não passou de uma cilada.

Nemmouche foi detido a 30 de maio de 2014, em Marselha, e tinha na sua posse das armas que tinham sido usadas durante o ataque ao museu em Bruxelas.