Sociedade

"Tudo o que seja feito para que a ADSE seja forte, seja viva, é bom"

Presidente da República foi questionado com a decisão do grupo José de Mello Saúde de desistir da suspensão das convenções


Marcelo Rebelo de Sousa disse esta quarta-feira que os acontecimentos entre grupos privados e a ADSE “vieram dar razão” ao apelo que já havia feito acerca de “um esforço de concertação de pontos de vista".

Esta quarta-feira, o Grupo José de Mello Saúde, o primeiro a anunciar suspensão de convenções com o subsistema de saúde dos funcionários públicos para abril, voltou atrás na decisão e vai continuar na rede de convencionados.

"Não tenho nada a dizer de especial. O que tinha a dizer sobre a ADSE já disse e penso que os acontecimentos vieram dar razão, no sentido de que era importante haver um esforço de concertação de pontos de vista", disse o Presidente da República, citado pela agência Lusa, depois de confrontado com a decisão do grupo José de Mello Saúde de desistir da suspensão das convenções.

"Tudo o que seja feito para que a ADSE seja forte, seja viva e os beneficiários possam continuar a usufruir do que é uma realidade, uma obra de interesse coletivo, é bom", acrescentou.