Economia

Alojamento local. Mais de 10% vai voltar para arrendamento

 “Dez ou 15% de 10 mil são mil ou 1500. É um número impressionante em termos de potencial habitação”, disse o presidente da Associação do Alojamento Local em Portugal (ALEP).

Entre 10 a 15% do alojamento local de Lisboa deve voltar este ano ao arrendamento tradicional. A garantia é dada pelo presidente da Associação do Alojamento Local em Portugal (ALEP) e justifica esta tendência com o funcionamento do mercado.

“Chega uma altura em que isso vai-se equilibrar. Este ano vai acontecer isso em Lisboa, especificamente. Já está a acontecer neste momento. Há alojamento local que já está a regressar ao arrendamento tradicional”, disse Eduardo Miranda que falava ontem numa conferência organizada pela Ordem dos Advogados.

Para o presidente da associação, estes 10 a 15% apresentam um produto fraco ou concluíram que dá muito trabalho ou que viram que afinal não é a galinha dos ovos de ouro e, como tal, começam a ponderar. “Dez ou 15% de 10 mil são mil ou 1500. É um número impressionante em termos de potencial habitação”, disse.


Eduardo Miranda disse ainda que a legislação não pode “amarrar demasiado” o alojamento local, com obrigações de licenças e de processos burocráticos complexos, porque uma das vantagens deste tipo de alojamento é poder mudar rapidamente de arrendamento turístico para um arrendamento tradicional.

“Se começarmos a amarrar isto também, estamos a amarrar a impossibilidade de voltar para o mercado de habitação”, acrescentou.