Internacional

Militares enviados para Moçambique. “É com sentido de irmandade que esta missão parte”

Partida de C-130 para Moçambique prevista para a meia-noite desta quarta-feira. A bordo seguem 35 militares, equipa cinotécnica da GNR e médicos

 


O Ministro da Defesa Nacional lembrou esta noite a missão que no ano 2000 prestou auxílio nas cheias em Moçambique para desejar a “melhor sorte” aos 35 militares que esta quarta-feira partem para região da Beira. “Naquela ocasião os fuzileiros portugueses distribuíram 150 toneladas de alimentação, socorreram mais de 16 mil pessoas com necessidades de assistência médica, salvaram incontáveis vidas. A partida desta força de reação imediata hoje é uma demonstração da prontidão de Portugal para repetir aquilo que se fez em Moçambique no ano 2000 e estou seguro de que os militares que hoje partem terão a mesma determinação e o mesmo brio”, disse João Gomes Cravinho, sublinhando que é “com sentido de irmandade que esta missão parte”.

A partida do primeiro C-130 com uma equipa de 35 militares, apoiados por uma equipa cinotécnica da GNR, está prevista para a meia-noite desta quarta-feira. Já amanhã deverá partir para Moçambique um segundo avião enviado pelo Estado português, com donativos e elementos de organizações da sociedade civil. A informação foi avançada esta noite na “SIC Notícias” por Pedro Coelho Dias, porta-voz do Estado-Maior-General das Forças Armadas. 

Além do ministro da Defesa, também o Presidente da República falou esta noite aos militares que irão partir da base aérea de Figo Maduro. Marcelo Rebelo de Sousa revelou ter conversado nas últimas horas com o homólogo moçambicano. “Quis expressamente que vos transmitisse o reconhecimento do povo moçambicano pelo contributo da vossa missão, uma missão fraterna e de solidariedade”. O Presidente da República indicou que as palavras de reconhecimento foram estendidas ao governo e ao povo português, “não apenas consternado mas solidário”, pedindo à equipa de reação rápida que leve um abraço “em nome de todos os portugueses ao povo irmão de Moçambique.”

A chegada à Beira está prevista para a manhã de sexta-feira.