Internacional

Chevrolet recusa venda de 180 mil carros e empurra 1500 pessoas para o desemprego

Chevrolet encerrou uma fábrica no Ohio, EUA, que se sabe agora que podia ter continuado em funcionamento


A Chevrolet, que pertence à General Motors, está a fazer ajustes à em relação ao volume de produção. Por esse motivo, terá decidido fechar no passado dia seis de março, a fábrica onde trabalhavam 1500 pessoas, em Lordstown, no Ohio, onde se produzia o modelo cruze (que também é produzido no México).

Segundo a marca, não fazia sentido manter a produção de um modelo cujas vendas se encontravam em declínio constante.

No entanto, sabe-se agora que aqueles postos de trabalho poderiam ter sido poupados, isto porque um empresário terá proposto à General Motors comprar toda a produção da fábrica nos próximos cinco anos, uma produção que seria de entre 150 mil e 180 mil veículos.

Esta proposta inédita foi confirmada pela própria Chevrolet e pelo sindicato dos trabalhadores, mas declinada pela General Motors. Bernie Moreno é o nome do empresário que, com a sua compra, permitiria manter a fábrica em funcionamento durante pelo menos mais cinco anos. O objetivo do homem era criar uma plataforma que fizesse concorrência à Uber e à Lyft, serviços de carsharing que operam naquele local.