Sociedade

Investigadores portugueses criam sistema de limpeza de águas residuais com cascas de pinhão

Equipa de investigadores ganhou um prémio pela criação deste sistema

Um grupo de investigadores da Universidade de Lisboa e do Laboratório Nacional de Engenharia Civil (LNEC) criou um sistema, recorrendo a cascas de pinhão, que limpa as águas residuais.

O sistema ajuda a remover compostos farmacêuticos presentes nas águas que estão a ser tratadas em Estações de Tratamento de Águas Residuais (ETAR). 

"É uma opção tecnológica que envolve baixos custos de investimento, tem alguns custos de operação, mas é de fácil aplicação e permite que as entidades gestoras tenham uma ferramenta para, com relativa facilidade, aumentarem o controlo de alguns destes compostos", disse à Lusa Maria João Rosa, do LNEC.

A investigadora explicou ainda que em vez de recorrerem a "compostos comerciais" decidiram usar produtos "feitos a partir de resíduos nacionais, neste caso a casca de pinhão e produzimos carvões de forma ambientalmente sustentável".

O sistema foi desenvolvido no âmbito do projeto LIFE Impetus e recebeu o prémido Wex Global 2019 - Inovação em Tecnologia.

Agora, depois de ter passado por uma fase de testes, a ideia é avançar com uma produção a nível mundial.