Internacional

Mulher torturava filhos adotivos para os obrigar a gravar vídeos para o Youtube

Sempre que as crianças se recusavam a participar na gravação das imagens, a mulher ameaçava-os e punia-os

DR
Youtube
Youtube

Uma mulher, de 48 anos, foi detida no Arizona, Estados Unidos, suspeita de maltratar os sete filhos adotivos para que estes fizessem parte de vídeos de um canal no Youtube.

De acordo com a estação televisiva norte-americana CBS, Machelle Hackney não alimentava as crianças, trancava-as num armário durante dias, sem água e comida, batia-lhes e utilizava gás pimenta no corpo para as obrigar a atuar como desejava nos vídeos.

As crianças, cujo nome não foi divulgado para preservar as suas identidades, foram resgatadas em estado de má nutrição.

Segundo o The Washington Post, quando foi dada a oportunidade de beber água a uma das crianças, esta bebeu três garrafas de 400 ml em apenas 20 minutos.

Machelle Hackney obrigava os filhos adotivos a participar nos vídeos de um canal que existia na rede social desde 2018. O canal em questão tinha mais de 700 mil seguidores e mais de 242 milhões de visualizações. Os vídeos dos menores terão gerado cerca de 2.2 milhões de lucro em publicidade.

As crianças surgiam nos vídeos a brincar, a jogar, sem nunca demonstrar qualquer indício dos abusos sofridos pela mulher.

Sempre que as crianças se recusavam a participar na gravação das imagens, a mulher ameaçava-os e punia-os.

Machelle Hackney tem ainda quatro filhos biológicos, dois deles também foram detidos e confirmaram os abusos. Foi um destes filhos biológicos que denunciou o caso, pedindo a uma assistente social que se dirigisse à casa da mulher.

A norte-americana está a acusada de sete crimes de abuso infantil, um por cada filho adotivo, e terá ainda de responder por negligência infantil. Também os dois filhos biológicos que sabiam dos abusos foram acusados de abuso infantil por não denunciarem o caso às autoridades.