Sociedade

Homem condenado a cinco anos e meio de prisão por abusar sexualmente de enteada com deficiência

Jovem tinha apenas sete anos de idade e era portadora de trissomia 21.

Esta segunda-feira, o Tribunal da Relação de Lisboa confirmou que condenou, em Almada, a cinco anos e seis meses de prisão um homem por dois crimes de abuso sexual da enteada, que era portadora de trissomia 21.

O coletivo de juízes deu como provadas todas as argumentações apresentadas em julgamento: o homem, que coabitava com a vítima de apenas sete anos, aproveitou-se do défice cognitivo de que sofria para ter com ela "atos de natureza sexual".

O crime remonta a 2016 e ocorreu entre nove e dez de janeiro do mesmo ano.