Sociedade

PJ faz buscas na Câmara e na sede do Geoparque de Arouca relacionadas com Turismo do Norte

Em causa está a alegada viciação de procedimentos de contratação pública

A Polícia Judiciária realizou, esta quarta-feira, buscas na Câmara Municipal e na Associação Geoparque de Arouca (AGA), no âmbito da Operação Éter, que investiga contratações públicas pela Turismo do Porto e Norte.

A notícia das diligências da Judiciária nas instalações dos dois organismos foi confirmada à agência Lusa por fonte ligada ao município, cuja presidente também lidera a AGA por inerência do cargo.

No edifício da Câmara, a PJ acedeu "ao dossiê completo sobre a Loja Interativa de Turismo de Arouca" e, na sede administrativa do Geoparque, pediu outros documentos relativos ao processo.

"As diligências configuram-se como um procedimento normal decorrente da investigação à alegada viciação de procedimentos de contratação pública no âmbito da Entidade Regional de Turismo do Porto e Norte", disse fonte da autarquia, que sublinhou também que as buscas estão “a ter lugar em todos os municípios da área de influência do Turismo do Porto e Norte".

A mesma fonte garantiu ainda que a Câmara de Arouca se encontra "inteiramente disponível para prestar toda a colaboração que seja considerada pertinente".

Recorde-se que a em causa está uma alegada viciação de procedimentos de contratação pública. Na sequência da Operação Éter foram detidas, em outubro de 2018, cinco pessoas ligadas ao Turismo do Porto e Norte.

Foram indiciados, segundo a PJ, "por crimes de corrupção e participação económica em negócio em procedimentos de contratação pública" na região.