Desporto

Fernando Santos diz que “ter o melhor jogador do mundo não resolve tudo”

"O principal desafio é Portugal estar no campeonato da Europa"

O selecionador português afirmou esta segunda-feira que ter o melhor jogador do mundo “por si só não chega para vencer jogos”, apesar de poder fazer a diferença num jogo coletivo.

"Ter o melhor do mundo, não chega, não resolve tudo. Acrescenta qualidade, soma, torna-se mais fácil, porque o jogo é o somatório das partes, não é um e o resto. As individualidades são importantes e acrescentam vantagens para o coletivo", declarou Fernando Santos, enquanto falava aos jornalistas à margem do Fórum da Associação Nacional de Treinadores de Futebol, que acontece hoje e terça-feira, em Portimão.

O selecionador nacional utilizou o exemplo de Lionel Messi, que é “um dos melhores jogadores do mundo”, apesar de a seleção argentina não ter, nos últimos tempos, vencido qualquer competição.

Sobre a seleção portuguesa, Fernando Santos recusou responder a perguntas, dizendo apenas que "o principal desafio é Portugal estar no campeonato da Europa", tendo ainda acrescentado que "somos dos melhores do mundo, não somos os melhores do mundo. Vivemos num país que é o oito ou 80, porque, por um lado, não confiamos nada em nós, somos uns coitadinhos, e de repente somos os melhores de tudo e temos de ganhar sempre, não podemos empatar".