Desporto

Benfica. Wolverhampton oficializa Jiménez por 38 milhões de euros

Avançado mexicano torna-se a terceira maior venda da história dos encarnados, só atrás de Ederson e Witsel, ambos transferidos por 40 milhões

Agora é oficial: Raúl Jiménez já é jogador do Wolverhampton Wanderers em definitivo. O clube inglês, orientado por Nuno Espírito Santo, anunciou esta quinta-feira ter acionado a opção de compra do avançado mexicano, que no início da temporada foi emprestado pelo Benfica.

O Wolves não confirmou o valor da transação, mas este já havia sido comunicado pelas águias à CMVM (Comissão de Mercado e Valores Mobiliários) aquando do acordo de empréstimo: 38 milhões de euros. A estes números, somam-se os três milhões pagos pelo emblema-sensação da Premier League pela cedência no início da época, num total de 41 milhões pelo atleta de 27 anos, que soma 15 golos em 37 jogos esta temporada.

 

 

"É uma grande honra para mim ser um elemento permanente da equipa. Estou muito feliz com este contrato porque acho que estar no Wolves combina comigo. Desfrutei do tempo que passei aqui, gosto de estar em campo e, com os meus companheiros, damos o nosso melhor para vencer todos os jogos. Desde que cheguei correu tudo tão bem. Tivemos bons momentos, alguns maus, mas os melhores foram tão bons e estou muito feliz por isso. As músicas que os adeptos fizeram para mim são fantásticas, é a primeira vez que isso me acontece. Fico muito feliz por ouvi-las quando marco. Agora quero continuar a marcar para continuarem a cantar sobre mim", salientou Jiménez ao site do seu 'novo' clube, ressalvando a intenção de "fazer história". "Com os meus companheiros, quero pôr o Wolverhampton de volta nos lugares cimeiros da Premier League".

Jiménez, cujo contrato com o Wolverhampton (com duração de quatro anos) começará a ser cumprido a partir de 1 de julho, torna-se assim a terceira maior venda da história do Benfica. O internacional mexicano - contratação mais cara de sempre dos encarnados, que por ele pagaram 22 milhões de euros ao Atlético de Madrid - fica apenas atrás de Witsel, vendido ao Zenit em 2012/13, e Ederson, transferido para o Manchester City em 2017/18, ambos por 40 milhões de euros.