Sociedade

Linguista brasileiro diz que Acordo Ortográfico já é antigo e defende simplificação

O linguista e professor brasileiro Ernani Pimentel defende mais simplificação da ortografia da língua portuguesa e afirma que o novo Acordo Ortográfico já é antigo e não atende às necessidades actuais do idioma.

"precisamos de eliminar as incoerências e inconsistências. estamos parados no passado. como posso ensinar a um aluno que quer raciocinar, que quer entender, que cor de café não tem hífen, mas cor-de-rosa tem?", disse à lusa.

pimentel foi um dos professores ouvidos pela comissão de educação do senado brasileiro, motivando parlamentares, que após escutarem várias críticas, a acordarem com o executivo a elaboração de um decreto que adia para 2016 a implantação obrigatória do acordo, prevista para janeiro de 2013.

o governo brasileiro tem até o fim deste ano para emitir o decreto que adiará a implantação obrigatória para 2016.

no início de dezembro, o ministro brasileiro da educação, aloizio mercadante, afirmou à lusa que o adiamento tinha sido recomendado pelo ministério das relações exteriores e estava a ser estudado pela sua tutela.

pimentel realça que o actual acordo foi pensado em 1975 e assinado em 1990, num período em que a educação se baseava na "memorização" e não no "raciocínio".

o linguista critica, por exemplo, o uso do “cê com cedilha” nas palavras de origem árabe, indígena ou africana, e do “esse” nas outras, porque, na prática, as pessoas desconhecem de onde vêm as palavras.

pimentel, que possui dois livros escritos com críticas ao novo acordo ortográfico, reuniu mais de 20 mil assinaturas de professores de português e estudantes universitários contra as novas regras.

para o linguista, o adiamento da implantação obrigatória é "importantíssimo", "uma oportunidade para voltar a discutir" as normas.

a senadora ana amélia (partido progressista), da comissão de educação, afirma por seu lado que o adiamento é "ideal", não para anular o acordo, mas para "harmonizar" o prazo com o da obrigatoriedade em portugal, que começa em 2015.

lusa/sol