Sociedade

Kate McCann diz que PJ ofereceu liberdade do marido em troca de confissão

Mãe só ‘apanhava’ dois anos e pai ficava em liberdade

Está quase a fazer 12 anos (3 de maio) que Madeleine McCann desapareceu na Praia da Luz no Algarve, mas o caso continua a ser alvo de troca de acusações e informações contraditórias, quer das autoridades portuguesas quer dos pais da menina inglesa.

Kate McCann revela agora no seu livro Madeleine que a Polícia Judiciária lhe fez uma proposta “ofensiva” pouco depois do desaparecimento da menina a 3 de maio de 2007.

Segundo as declarações da mãe de Maddie, que constam no livro e são citadas pelo The Sun, a polícia portuguesa disse que se Kate confessasse ter matado a filha, o marido, Gerry, ficaria em liberdade.

Kate Mccann, segundo a proposta que diz ter recebido, teria de revelar a causa da morte de Maddie e o local onde estaria escondido o corpo, em troca desta confissão, a mãe da menina só receberia uma pena de anos de prisão, além da garantia da liberdade do marido.

O próprio advogado que aconselhava o casal referiu que o alegado acordo era preferível a uma eventual acusação por homicídio.

Tanto Kate como Gerry terão recusado a proposta, sublinhando a sua inocência.