Vida

Homem que perseguiu e assediou Joana Cruz durante 4 anos está agora em tribunal

Joana Cruz, radialista na RFM, e o seu namorado, Alberto Índio, terão sido importunados com centenas de telefonemas, mensagens, fotografias obscenas e insultos. Agora, o arguido foi levado a tribunal 


A conhecida radialista Joana Cruz, da RFM, e o seu namorado, o cantor Alberto Índio, foram, de acordo com a revista FLASH!, importunados com telefonemas, mensagens, fotografias obscenas e insultos.

Tudo começou há quatro anos, quando um homem do Seixal, um técnico comercial de 42 anos, começou, alegadamente, a perseguir Joana Cruz.

A mesma publicação escreveu que o homem, que vive em Cruz de Pau, em Amora, está agora a ser julgado em tribunal, e responde por perseguição com recurso a obscenidades dirigido não só ao casal como também a outras figuras mediáticas da televisão, rádio e outros artistas ligados ao mundo da moda e da música.

Segundo a mesma revista, que cita a TV Guia – que teve acesso ao processo -, o arguido terá assumido que sofreu uma psicose em 1996 e terá sido a notícia do início de namoro entre Joana Cruz e Alberto Índio que despoletou a doença e toda a perseguição.

Este incidente causou muita perturbação na "família, amigos e fãs, seguidores nas redes sociais e várias pessoas ligadas à imprensa", lê-se ainda.

Os comentários estão desactivados.