Internacional

Donald Tusk envia recado ao parlamento inglês

Presidente do Conselho Europeu pediu aos deputados britânicos para “não desperdiçarem este tempo” concedido.

Os líderes europeus aceitaram uma extensão de seis meses da data limite de saída do Reino Unido, para 31 de outubro – bastante mais longa que a extensão até 30 de junho pedida pela primeira-ministra britânica, Theresa May. 

O presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk, pediu aos deputados britânicos para “não desperdiçarem este tempo” concedido.

Esta extensão significa que o Reino Unido tem de ir às eleições europeias, ao invés daquilo a que o Governo britânico se tinha comprometido. Caso isso não ocorra, o Reino Unido sai da UE a 1 de julho, data da tomada de posse dos eurodeputados.

May mantém-se firme quanto ao seu objetivo de que o Reino Unido saia da UE o mais depressa possível, mas apenas com “um acordo que seja do interesse nacional”, como considera ser o acordo negociado entre si e os líderes europeus.

Contudo, May não tem a vida facilitada, enfrentando os eurocéticos conservadores, que se mostraram furiosos com o adiamento. Vários deputados do seu próprio partido acusaram a primeira-ministra de estar nas mãos de Bruxelas, chegando a pedir a sua demissão.