Sociedade

Seca: É preciso chover até ao fim de abril

A chuva que chegou na semana passada não é suficiente para reverter a situação de seca. E as previsões indicam que na próxima semana a chuva vai dar tréguas e as temperaturas vão subir ligeiramente.

A semana foi de chuva, mas o país continua em seca. Depois de no início do mês o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) ter revelado que a situação de seca se intensificou durante o mês de março, a chegada das primeiras chuvas de abril trouxe uma luz de esperança que fazia prever que a situação não iria continuar a agravar-se. No entanto, estes dias de chuva não são suficientes para reverter o cenário que o país atravessa. Segundo os especialistas é preciso chover durante todo o mês de abril para ver o fim à seca. 

Contudo, as previsões meteorológicas para os próximos dias não são animadoras. De acordo com o IPMA, a partir da próxima semana a chuva vai dar tréguas e as temperaturas vão subir ligeiramente. Se para muitos esta é uma boa notícia, para os agricultores e as produções agrícolas as notícias são negras.

Esta semana, em declarações ao jornal i, Nuno Sequeira da Quercus revelou que a situação de seca é grave e que as chuvas dos primeiros dias de abril apenas começaram a «amenizar a situação».

«Vimos de um período de seca já com alguma gravidade», disse, acrescentando que em março já «mais de um terço do território nacional estava em situação de seca severa - sobretudo do Sul do país - e quase metade em seca moderada».

As estimativas, de acordo com o responsável, revelam que «seria necessário chover no mês de abril o dobro da média habitual para que o país» mudasse esta situação. Ou seja, «será necessário chover até ao final deste mês».

No entanto, mesmo que a chuva continue nos próximos dias ou semanas, Nuno Sequeira não está muito otimista de que isso venha a resolver todos os problemas. Segundo o especialista a chuva não cai de forma homogénea em todo o país e, por isso, vão sempre existir algumas zonas do território - como o Alentejo e Trás-os-Montes - em que mesmo que chova o dobro do normal, os impactos da seca não serão «completamente mitigados».

De acordo com o site do Sistema Nacional de Informação de Recurso Hídricos no mês passado, «comparativamente ao último dia do mês anterior verificou-se um aumento do volume armazenado em sete bacias hidrográficas». O site revela ainda que das 60 albufeiras monitorizadas, 14 têm «disponibilidades hídricas superiores a 80% do volume total e 10 têm disponibilidades inferiores a 40% do volume total». No entanto, de acordo com Nuno Sequeira «os níveis de água estão muito baixos ainda».

O responsável indicou ainda que as previsões são de que os períodos de instabilidade venham a registar-se com mais frequência: «Vamos ter cada vez mais períodos mais quentes e menos chuvosos».