Internacional

Protesto dos coletes amarelos sobe de tom em Paris e há chamas por todo o lado

Coletes amarelos estão irritados com dinheiro prometido para a reconstução de Notre-Dame

O movimento dos coletes amarelos voltaram às ruas de Paris naquele que já é a 23ª semana consecutiva de protestos.

Este sábado fica marcado pelo impedimento de os protestantes se aproximarem da catedral de Notre-Dame, que ardeu parcialmente esta semana, e pelos confrontos entre manifestantes e polícias.

A imprensa francesa fala no regresso de um clima de guerra após várias semanas relativamente mais calmas.

Os manifestantes estão irritados com os milhões de euros que foram prometidos para a reconstução da Catedral.

O ministro do Interior francês Christophe Castaner disse, esta sexta-feira, numa conferência de imprensa que tinha informado acerca de um possível regresso dos manifestantes mais radicais a Paris, Toulouse, Montpellier e Bordeaux.

Castaner revelou que havia o receio de uma repetição dos protestos violentos de 16 de março.

"Os manifestantes vão voltar amanhã [esta sábado]", disse Castaner na entrevista coletiva que deu nesta sexta-feira. "Têm um objetivo: repetir o 16 de março", disse.  

Recorde-se que nesse dia, os protestos contra a desigualdade sentida em França causaram estragos, incendiaram espaços e obrigaram Macron a interromper uma viagem aos Pirineus.