Sociedade

Homicida confesso de Guimarães em prisão preventiva

O homicida confesso de Guimarães ficou já em prisão preventiva, ao final da tarde desta segunda-feira, determinou o juiz de instrução criminal da Comarca de Guimarães, após o primeiro interrogatório judicial a que foi submetido na sequência da sua detenção pela PJ.

Em consequência do ataque à facada contra um grupo de moradores com os quais não se conhece qualquer tipo de relacionamento, Joaquim Ferreira, sozinho, atacou três homens e uma mulher, tendo esta última falecido no Hospital de Guimarães poucas horas depois.

Maria José da Silva Dias, de 46 anos, não resistiu aos ferimentos, enquanto o seu filho, de 26 anos, está internado em estado bastante grave, tendo a namorada deste, de 22 anos, assim como um jovem, de 27 anos, ficado com ferimentos mais ligeiros, livres de perigo.

Joaquim das Neves Ferreira, de 52 anos, casado, com três filhos menores, recolheu já ao princípio da noite ao Estabelecimento Prisional de Braga, tendo no domingo reconstituído os crimes, com vários inspetores da Brigada de Homicídios da Polícia Judiciária de Braga.

Segundo as investigações, o arguido já teria conflitos com a vizinhança, na freguesia de Fermentões, em Guimarães, incluindo condenações, transitadas em julgado, pelo que no sábado andou com dois ferros utilizados para fazer colunas nas obras de construção civil, causando medo junto de várias pessoas.

Na altura, uma das pessoas terá telefonado para a Polícia de Segurança Pública de Guimarães, conforme registo telefónico, a dar conta do clima então sentido na zona, só que segundo a mesma moradora, a PSP terá desvalorizado o alerta, ao mesmo tempo que teria sido aconselhada a fechar-se dentro de casa, o que a Polícia de Segurança Pública por sua vez desmente, apesar de não ter apreendido os ferros, tal como o JN adiantou na edição impressa desta segunda-feira, com fotos dos ferros na via pública.