Sociedade

"Fui algemado e agredido de forma gratuita e violenta pelos seguranças do primeiro-ministro"

O ativista Francisco Pedro, que interrompeu o discurso de António Costa, garante ter sido “algemado e agredido de forma gratuita e violenta”.

DR  


Invadir o jantar dos socialistas foi o último de dez atos de um teatro ambientalista. Na segunda-feira à noite, 12 pessoas participaram numa ação de protesto durante o discurso de António Costa no 46.º aniversário do PS . Um deles, Francisco Pedro, desviou o microfone do primeiro-ministro e tentou falar para a plateia em protesto contra a extensão do aeroporto da Portela e contra a construção do novo aeroporto do Montijo. 

Ao i, Francisco Pedro, de 32 anos, contou que foi a “criatividade” dos membros que permitiu aproveitar as falhas de segurança do evento. Questionado sobre se tinham entrado como socialistas, Francisco, não adiantou muito e disse apenas: “É isso, foi com essas coisas, com muita organização e com muito respeito por todas as pessoas que estavam presentes”. 

O membro do movimento que interrompeu o discurso de António Costa não teve tempo para ler o papel que levava - cujo título era “Mais aviões? Só a brincar!” -, tendo sido retirado de imediato levado. 

Nas imagens divulgadas, é possível ver Francisco a ser levado por dois seguranças que estavam ao lado do primeiro-ministro, mas não se vê mais nada. “Eu, pessoalmente, fui agarrado pelo pescoço e fui levado para um sitio longe de câmaras e de olhares. Fui algemado e agredido de forma gratuita e violenta, pelos seguranças do primeiro ministro”, contou Francisco Pedro. 

Leia o artigo na íntegra aqui.