Desporto

Liga dos Campeões. Nem os ingleses escaparam à maravilha 600 de Messi (com vídeo)

Gary Lineker e Rio Ferdinand rendidos ao extraordinário livre direto apontado pelo capitão do Barcelona no triunfo sobre o Liverpool

Leo Messi fez mais uma exibição extraordinária na Liga dos Campeões, no triunfo da noite desta quarta-feira por 3-0 do Barcelona sobre o Liverpool, na primeira mão das meias-finais, e o espetáculo do astro argentino não deixou ninguém indiferente. Nem sequer... os ingleses.

Aquando do bis de Messi, num golo magnífico de livre direto aos 85 minutos, Gary Lineker e Rio Ferdinand, que se encontravam a comentar a partida para um canal televisivo britânico na tribuna de imprensa do Camp Nou, não se conseguiram conter: levantaram-se e começaram a dançar e a comemorar o golo 600 do argentino com a camisola do Barcelona.

 

No fim do encontro, que deixa o Barcelona com pé e meio na final, Jurgen Klopp mostrou-se resignado. "O futebol é assim mesmo, é sobre marcar golos e tudo isso. Eles marcaram três e nós não marcámos nenhum. A nossa exibição foi mesmo boa, os rapazes fizeram um super-jogo para ser honesto, mas frente a uma equipa como o Barcelona basta alguns momentos para eles criarem oportunidades. O que posso dizer? Estou mesmo contente com a exibição, claro que não estou tão contente com o resultado. Mas não temos direito a menções honrosas, é mesmo um resultado duro que temos de aceitar", atirou o técnico alemão dos reds, completando a ideia: "A forma como jogámos? Foi espetacular. A forma como lhes causámos problemas? Fenomenal. Controlámos o jogo, especialmente na segunda parte, tivemos mais bola. Bom, sofremos um golo, mas isso não era grande problema. Tínhamos a segunda parte para jogar, disse aos rapazes onde podíamos melhorar e para irem lá para dentro. Não sei se podemos jogar melhor do que isto, para ser honesto. Depois o Messi marcou aquele golo, foi muito fácil. E depois marcou o outro. O Alisson estava lá, mas aquela bola era indefensável. É isso, 0-3".

 

Já Nélson Semedo, que entrou aos 60 minutos, não escondeu a admiração pelo capitão dos blaugrana. "Acho que ele já merece uma estátua, pelo que tem feito e continua a fazer e por aquilo que ainda vai fazer. Tem muito para dar ainda, está num nível excelente. Para mim, é aproveitar os momentos com ele, aprender e divertir-me", frisou o internacional português sobre Messi, que se aproximou ainda de uma marca detida por Raúl, histórico capitão do Real Madrid: o argentino marcou ao 32.º adversário diferente na liga milionária - apenas menos um que o ex-avançado espanhol.