Sociedade

Mário Nogueira sobre possível demissão de Costa: "Foi um exercício de um ato de chantagem"

Costa defende que restrição desta solução aos professores "colocaria em situação de desigualdade os demais funcionários públicos" e admite avançar com demissão caso  a lei que promete devolver o tempo integral do serviço dos professores for aprovada na votação final global

Mário Nogueira considerou esta sexta-feira que António Costa fez “chantagem” ao admitir avançar com demissão se a lei que promete devolver o tempo integral do serviço dos professores for aprovada na votação final global.

"Classifico com uma só palavra aquilo que acabei de ouvir: foi um exercício de um ato de chantagem", disse o secretário-geral da Federação Nacional dos Professores (Fenprof), citado pela agência Lusa.

Mário Nogueira disse ainda que os professores passaram "mais de ano e meio” a reunir-se com o Governo sobre esta matéria, “sob chantagem”.

"O prémio que o Governo de António Costa, do PS, tem para os professores do continente é discriminá-los da generalidade da Função Pública no país e dos seus colegas na Madeira e dos Açores", destacou o líder da Fenprof.