Sociedade

PSP detém três pessoas que estavam a causar distúrbios junto ao Estádio da Luz após jogo de Benfica

Um agente ficou ferido e teve de receber assistência médica

Dois homens e uma mulher foram detidos este sábado pela PSP depois do jogo do Benfica, na Rua João de Freitas Branco, junto ao Estádio da Luz. Em causa estão crimes de “injúrias, coação e resistência sobre funcionário”.

Em comunicado, a PSP explica que por volta das 23h, foi chamada ao local depois de várias pessoas se terem queixado de “que um grupo de cerca de 50 indivíduos, pertencentes a uma claque de futebol afeta ao Sport Lisboa e Benfica, junto a uma rulote de restauração e bebidas, estaria a provocar ruído excessivo e a importunar as várias pessoas que ali permaneciam ou passavam”. Foi então mobilizado para o local um carro patrulha. De acordo com o comunicado, os agentes foram recebidos “de forma agressiva pelo referido grupo”, tendo os profissionais sido obrigados a pedir reforços policiais “para conter a hostilidade e a exaltação de ânimos que estavam a acontecer”.

A PSP relata que os agentes pediram que o estabelecimento encerrasse e que o grupo abandonasse o local. Alguns elementos dispersaram, mas cerca de 10 a 15 pessoas continuaram a “hostilizar os polícias” bem como a “desobedecer à ordem policial de dispersão e encerramento do espaço de comidas e bebidas”.

Foi nessa altura que “dois elementos “reagiram à intervenção policial”, tendo arremessado “uma pedra contra um elemento policial, que lhe causou ferimentos numa perna”, “pelo que os polícias tiveram necessidade de recorrer à força física para proceder ao seu controlo e posterior detenção”. O agente acabou por receber tratamento hospitalar. Um dos detidos também sofreu ferimentos numa mão, mas “recusou-se a receber assistência”.

De acordo com o Correio da Manhã, depois da confusão ter começado, os detidos alegam ter sido alvo de violência policial desnecessária. A PSP já revelou que “a intervenção policial e todas as circunstâncias que a rodearam foram já alvo da abertura de inquérito interno, determinado pelo Diretor Nacional da PSP”. 

Os detidos foram constituídos arguidos, tendo sido sujeitos ao Termo de Identidade e Residência, e terão que se apresentar amanhã em tribunal.