Internacional

Mulher tem de se trancar na casa de banho devido aos impulsos violentos do filho de 12 anos

Serviços sociais britânicos não respondem aos pedidos de ajuda da mulher

DR  

Uma mulher tem de se trancar regularmente na casa de banho, conjuntamente com a sua filha, para não sofrer com os impulsos violentos do filho de 12 anos, em Lincolnshire, na Inglaterra.

De acordo com o Mirror, a mulher, cuja identidade não foi revelada, já pediu várias vezes ajuda aos serviços sociais britânicos, mas estes foram sempre ignorados.

Na origem dos comportamentos abusivos e violentos da criança, está o facto de este ser autista e sofrer constantemente de mudanças de humor.

Sem o apoio dos serviços sociais, a mulher já se viu obrigada a ter de recorrer várias vezes aos serviços da polícia para garantir segurança, o que levou a que a família fosse despejada devido a uma queixa dos vizinhos. Segundo a mulher, as pessoas queixavam-se da presença constante da polícia naquele bairro.

"Se um pai abusa de uma criança, os serviços sociais entram imediatamente em ação e colocam-nos sob cuidados de proteção, mas se a situação for inversa, são os pais que têm de aguentar (...) não sou só eu que sofro nas mãos do meu filho, a minha filha mais nova também vive atormentada", afirmou a mulher, acrescentando ainda que foram precisos nove anos para que o filho fosse diagnosticado com autismo.

"Estas mudanças de humor poderiam ter sido tratadas quando ele era pequeno, mas agora ele é mais alto do que eu e eu simplesmente não sei o que fazer, ele chegou ao ponto em que eu não o quero mais sob o meu teto, porque não é seguro”, relatou.

A mulher chegou mesmo a pedir às autoridades que não deixassem o filho regressar a casa. No entanto, acabou por ser ameaçada pelos serviços sociais.

"Nessa altura recebi uma chamada dos serviços sociais a ameaçarem-me de que me prendiam caso eu não deixasse o menino regressar a casa”, contou.

O jornal britânico entrou em contacto com as autoridades daquele condado que garantiram que iriam apurar os factos e olhar para a situação com urgência.