Desporto

Liga dos Campeões. Liverpool consegue reviravolta épica e está na final

Depois de perder no Camp Nou por 3-0, e privados das estrelas Salah e Firmino, os reds de Jurgen Klopp venceram em Anfield por incríveis 4-0

Absolutamente incrível. A edição 2018/19 da Liga dos Campeões tem proporcionado verdadeiros épicos de futebol - ainda está bem presente na memória coletiva o 4-3 entre o Manchester City e o Tottenham que apurou os spurs para as meias-finais -, mas provavelmente nem o mais fanático adepto do Liverpool conseguiria prever o que se passou na noite desta quarta-feira em Anfield.

As contas eram fáceis de fazer: dado o 3-0 com que o Barcelona havia vencido em Camp Nou, na primeira mão, os reds "só" tinham de marcar quatro golos (e não sofrer nenhum) para virar a eliminatória. Com um ingrediente extra: Jurgen Klopp chegou a este jogo privado de Salah e Firmino, duas das suas maiores estrelas, ambos lesionados. Ainda assim, o arranque foi prometedor: logo aos sete minutos, Jordi Alba perdeu a bola em zona proibida e Henderson atirou para defesa de Ter Stegen; na recarga, Origi não perdoou.

Estava aberto o marcador, mas assim ficaria até ao intervalo. Nessa altura, Klopp jogou a cartada de mestre: tirou o lateral-esquerdo Robertson e colocou o médio Wijnaldum, recuando Milner. À partida, ninguém diria que estaria ali a chave da eliminatória - mas não é à toa que o técnico alemão vai já para a quarta final europeia (terceira da Champions, segunda consecutiva: no espaço de dois minutos, entre os 54' e os 56', o médio holandês apontou dois golos - um de pé direito, a cruzamento rasteiro de Alexander-Arnold, e outro de cabeça, após cruzamento de Shaqiri - e colocou a eliminatória em completa igualdade.

Arrastado pelo furacão vermelho, Ernesto Valverde mexeu para trás, trocando Coutinho pelo português Nélson Semedo, mas não havia volta a dar: era impossível travar este Liverpool. Nada fazia prever, contudo, que o 4-0 final chegasse como chegou: aos 79', quando partia para a marcação de um canto, Alexander-Arnold fez-se de desentendido, como que à espera da chegada de um colega, e de repente cobrou a bola parada, apanhando toda a defesa do Barcelona desprevenida e Origi sozinho no coração da área blaugrana para atirar para o golo. Os catalães reclamaram, mas o árbitro Cuneyt Çakir considerou que tudo aconteceu dentro da legalidade... e o Liverpool está na final da Champions.

Ajax ou Tottenham, um deles será o adversário: os holandeses partem na frente, pois venceram por 1-0 em Londres, mas... já deu para perceber que esta época nunca haverá um vencedor antecipado nos jogos da liga milionária.