Internacional

Reclusa grávida deu à luz sozinha na cela ao fim de sete horas sem ajuda

Bebé nasceu sete horas após o primeiro pedido de ajuda da prisioneira. Guardas ignoraram alerta de Tammy Jackson.

Uma prisioneira norte-americana foi obrigada a dar à luz sozinha numa cela de isolamento, numa cadeia na Florida, após sete horas de contrações dolorosas. Todos os seus pedidos de ajuda foram ignorados pelos guardas prisionais.

Tammy Jackson, 35 anos, acordou com contrações dolorosas na madrugada do dia 10 de abril, e pediu ajuda, batendo na porta da cela de isolamento, em que estava detida pelo facto de estar grávida.

Segundo o seu advogado, citado pelo New York Times, os pedidos de ajuda foram ignorados e Tammy Jackson não recebeu qualquer medicação nem assistência médica durante sete horas.

"Foi obrigada a agachar-se e apanhar o bebé", afirmou Gordon Weekes Jr em entrevista.

Noticiado pela imprensa norte-americana, o caso gerou uma onda de indignação e deu origem a uma investigação interna.

As autoridades “abriram imediatamente uma investigação interna sobre o parto da reclusa Tammy Jackson", confirmou a porta-voz do departamento de Assuntos Internos [Internal Affairs], Gina Carter.

No entanto, recusou prestar mais esclarecimentos sobre o caso, confirmando apenas que a reclusa foi acusada em janeiro por posse de cocaína e que estava a aguardar julgamento em prisão preventiva. Tammy Jackson estava numa cela de isolamento por estar grávida.