Desporto

Mourinho: "A reviravolta tem um nome: Jurgen" (com vídeo)

Técnico português rendido à forma como o alemão uniu os jogadores do Liverpool e lhes fez acreditar que era possível virar a eliminatória diante do Barcelona

Antes do Liverpool-Barcelona desta terça-feira, José Mourinho, agora a desfrutar da sua condição de comentador para a beIN Sports, havia frisado que, apesar de o trabalho de Jurgen Klopp merecer elogios, o técnico alemão ainda não tinha "ganho nada". Pois bem: depois do encontro, o Special One mostrou-se absolutamente rendido a Klopp.

"Não estava à espera. Disse que nada era impossível, que Anfield era um dos sítios onde o impossível se torna possível. Mas tenho de dizer que, para mim, esta reviravolta tem um nome: Jurgen", realçou Mourinho, completando a ideia: "Isto não é sobre táticas ou filosofia. Isto é sobre coração e alma e uma empatia fantástica que ele criou com um grupo fantástico de jogadores. Correram o risco de terminar a época sem vencer nada e agora estão a um passo de serem campeões europeus. E acho que o Jurgen merece. O trabalho que ele está a fazer no Liverpool é fantástico. Isto é sobre ele, é um reflexo da personalidade dele. De não desistir, de um espírito lutador. Todos os jogadores a darem tudo. Perde um jogador e não se lamenta. Não chora por fazer 50 ou 60 jogos por época, como acontece com outros treinadores noutras ligas que dizem que os jogadores estão a fazer demasiados jogos, quando fazem 30 ou 35 partidas por temporada. Acho que, nesta noite, foi tudo sobre a mentalidade de Jurgen Klopp".

 

 

No seu espaço de comentário, Mourinho abordou ainda o lance do quarto golo do Liverpool, considerando que uma equipa com o nível do Barcelona não poderia nunca deixar-se apanhar de surpresa daquela forma. "O quarto golo é…se virmos este golo nos sub-14 ou sub-15 dizemos: ‘os miúdos estão a dormir, os miúdos não têm mentalidade para jogar futebol, não sabem os fundamentos do jogo'. Mas estamos a falar dos melhores jogadores do mundo e sofrer um golo assim demonstra um estado de espírito. Creio que ao intervalo disse que, se o Liverpool marcasse o segundo golo, o ambiente iria ser muito difícil de lidar. Especialmente com o Liverpool a jogar para aquela baliza: é a baliza deles, onde adoram terminar os jogos e atacar na segunda parte", asseverou o técnico português, realçando porém: "Mas o Barça tem dos melhores jogadores do mundo, jogar a este nível é o habitat natural deles, como é jogar com o Real Madrid, disputar finais da Liga dos Campeões, meias-finais da Liga dos Campeões todas as época. É-me tão difícil explicar, acreditar que a minha equipa está a vencer 3-0 na primeira mão e que vamos perder por 4-0 na segunda. É difícil perceber. Não estou livre de me acontecer, mas é muito difícil de justificar isto. Gostava de ver Valverde explicar isto, mas acho que é muito difícil para ele".