Sociedade

Psicóloga suspensa por ter relações sexuais com recluso

Fotografias no telemóvel denunciam envolvimento sexual entre psicóloga estagiária e preso. Foi suspensa. Mas este não é caso único de escândalos sexuais nos últimos tempos a atingir a cadeia de Custóias, no Porto.

Um escândalo sexual rebentou na quinta-feira, no Estabelecimento Prisional do Porto, em Custóias, Matosinhos, quando se descobriu que uma jovem psicóloga vinha há algum tempo a manter relações com um recluso no gabinete de atendimento de um pavilhão e a deixar-se fotografar nua e em atos íntimos com esse detido, a quem carregava o telemóvel.

O aparelho telefónico e as imagens da psicóloga a posar nua, algumas impressas em papel A4, bem como outras fotografias em que se vê o recluso a apalpar a jovem psicóloga, num cenário de cumplicidade, foram apreendidas  numa operação dos Guardas Prisionais. Que apanharam também cartas manuscritas alegadamente pela jovem psicóloga com promessas de amor ao preso preventivo, onde a própria descreve atos sexuais mantidos com ele, além de desejos e fantasias que pretendia realizar em próximas «consultas de psicologia».

A jovem psicóloga, ainda em regime de estágio, começou a levantar suspeitas junto dos guardas e até mesmo de outros detidos, no Pavilhão D da Cadeia de Custóias, porque nos últimos tempos vinha «convocando» com frequência o mesmo recluso, por «necessidades de reinserção» – tratando-se de um preso preventivo, apesar de possuir um longo cadastro.
O detido preventivo, de 21 anos, também não terá sido nada discreto, principalmente nos últimos dias, gabando-se das suas façanhas sexuais com a «amazona», alcunha dada pelos outros reclusos à psicóloga, devido ao seu porte atlético (foi jogadora de voleibol).

Em face do avolumar de suspeitas, o Corpo da Guarda Prisional desencadeou esta semana uma busca à camarata do suspeito da prática de atos sexuais com a psicóloga, que depois das diligências investigatórias internas confirmou tudo aquilo que se terá passado, dando mais pormenores sobre o relacionamento íntimo com a jovem.

Na cela foi desde logo apreendido um telemóvel ao recluso, cujos carregamentos de saldo monetário seriam realizados pela psicóloga e no qual terão sido encontradas mensagens que dão conta de um envolvimento amoroso, confirmado por cartas onde a suspeita refere que tipo de relacionamento íntimo mantinha do gabinete. O detido, F.C.G.P., reincidente há cerca de dois anos, anteriormente morador na freguesia de Lavra, em Matosinhos, tem cadastro criminal por crimes de furto e de roubo, de tráfico e de consumo de drogas duras.

Sexo com quatro mulheres

Este caso surge um mês depois de ter sido descoberta uma situação anómala, de um outro preso, também no Estabelecimento Prisional de Custóias, que no espaço de poucas semanas terá recebido visitas íntimas, sempre à vez, de três mulheres diferentes, apesar de nenhuma ser a que consta como sua mulher no próprio sistema informático prisional.

A sua mulher, aliás, está também detida, no vizinho Estabelecimento Prisional de Santa Cruz do Bispo, igualmente em Matosinhos, onde o recluso com frequência vinha a ser transportado para ter visitas íntimas com ela.