Cultura

Eurovisão. Holanda confirma favoritismo e sagra-se vencedora

"Arcade", de Duncan Laurence, era o tema mais cotado nas casas de apostas e conquistou o prémio final

Está encontrado o vencedor do Festival da Eurovisão da Canção 2019: Duncan Laurence, da Holanda, conquistou o troféu com a música "Arcade". O tema, de resto, já era apontado pelas casas de apostas como o grande favorito desde o dia 9 de março, e a previsão acabou por se revelar certeira.

Nascido em 1994, Duncan - com o nome de batismo Duncan de Moor - ficou conhecido no seu país por ter chegado à semifinal do concurso de talentos "The Voice" em 2014. "Arcade", música "sobre saudade, inspirada na história de alguém que amava profundamente e que morreu numa idade jovem" - é assim apresentada no perfil do artista no site da Eurovisão -, somou 492 pontos, entre votos do júri e do público, e levou a melhor sobre a Itália (465) e a Rússia (369), naquela que é a quinta vitória da Holanda no festival - a última havia sido já em 1975.

A gala desta noite ficou marcada pela atuação de Madonna, que subiu ao palco já depois de todos os países em concurso terem atuado. Muitos foram os apelos para que a cantora, agora a residir em Portugal, boicotasse o festival, mas a "rainha da pop" resolveu atuar e fazer ela mesma um apelo: o apelo pela paz, com a sua atuação a terminar com dois bailarinos a caminhar abraçados envergando bandeiras de Israel e da Palestina.

Portugal, recorde-se, não marcou presença na final, depois de Conan Osíris, o representante luso, ter ficado por terra na primeira semifinal com a canção “Telemóveis”. Duncan Laurence sucede assim a Netta, a israelita que venceu o ano passado em Lisboa com o tema "Toy" e que recebeu a estatueta das mãos de Salvador Sobral, até agora o único português da história a conquistar o festival.