Cultura

Prémio Camões 2019 atribuído a Chico Buarque

Prémio foi instituído em Portugal e no Brasil em 1988

O músico e romancista brasileiro Chico Buarque é o vencedor do Prémio Camões de 2019. O anúncio do vencedor deste ano daquele que é o maior prémio literário da língua portuguesa foi anunciado ontem ao início da noite. Além da mais conhecida faceta musical, Chico Buarque é autor de cinco romances. 

A sua estreia na literatura fez-se em 1991, com Estorvo. Quatro anos depois, publicaria Benjamim, obra à qual se seguiriam Budapeste (2003), Leite Derramado (2009) e O Irmão Alemão (2014). Segundo o júri, composto por Clara Rowland e Manuel Frias (Portugal), Antonio Cicero e Antônio Carlos Hohlfeldt (Brasil), Ana Paula Tavares (Angola)​ e Nataniel Ngomane (Moçambique), a distinção é entregue a Chico Buarque não apenas pelo trabalho que vem desenvolvendo no campo literário, mas por todo o conjunto da sua obra. Também as letras das suas canções são literatura, afirmou Antonio Cicero, também ele compositor, além de poeta, crítico literário, filósofo e escritor. “São poemas. Grandes poemas. A música Construção, por exemplo, é um poema até raro de se fazer.”

Com já 30 anos de história, o Prémio Camões, no ano passado entregue ao cabo-verdiano Germano Almeida, distinguiu, na sua primeira edição, em 1989, o português Miguel Torga.