Internacional

Aplicação permite fazer reconhecimento facial em pandas

Aplicação poderá ser benéfica para a monitorização e conservação da espécie em risco de extinção

Na China, o Centro de Conservação e Pesquisa de Pandas Gigantes da China, em conjunto com investigadores da Universidade Tecnológica de Nanyang de Singapura e da Universidade Normal de Sichuan, criaram uma aplicação capaz de realizar reconhecimento facial em pandas.

Segundo a agência de notícias Xinhua, em 2017, deu-se início à pesquisa e análise de imagens. A aplicação conta atualmente com um total de 120 mil imagens e 10 mil videoclipes de pandas. Dessas fotografias, dez mil foram já analisadas. Graças à aplicação, cada panda será facilmente reconhecível, dando a possibilidade de os distinguir entre si.

"A aplicação e o banco de dados ajudarão a reunir dados mais precisos e completos sobre a população, distribuição, idade, género, nascimento e morte de pandas selvagens, que vivem em montanhas profundas e são difíceis de encontrar", disse Chen Peng, investigador do Centro Chinês de Conservação e Investigação do Panda-Gigante, à agência chinesa Xinhua.

A agência de notícias revela ainda que de acordo com dados mais recentes – de novembro de 2018 – existiam, em todo o mundo, 548 pandas criados em cativeiro e apenas 2 mil no seu estado selvagem natural.