Sociedade

Um assalto superior a 30 mil euros foi impedido pelas autoridades portuguesas

A PSP impediu o táxi, onde as mulheres tentavam fugir, de arrancar conseguindo assim devolver os pertences à dona. 

Um grupo de três mulheres portuguesas foi apanhado com objetos no valor de 36.750 euros, no passado dia 21, depois de terem assaltado uma mulher chinesa, na freguesia de Santo António, em Lisboa. 

Para garantir o sucesso do assalto, uma das mulheres ficou de vigia enquanto outra se encostou à vítima para encobrir a colega que abria a mala da turista e tirava os objetos de valor.

Os pertences roubados à mulher foram um par de brincos em ouro, no valor de 2290 euros, uma bolsa de alta-costura avaliada em 400 euros - que continha 170 euros em dólares, yuans e euros e outras peças de bijuteria em ouro e esmeraldas. Entre os objetos encontrados pelas autoridades portuguesas destacou-se um colar com um Buda em esmeralda, avaliado em 30 mil euros.

Depois do assalto, as mulheres tinham planeado entrar num táxi mas a PSP impediu o condutor de iniciar a viagem, conseguindo assim deter as mulheres e devolver todos os objetos à turista chinesa que não foi identificada. Em comunicado, a PSP diz que a vítima ficou “bastante aliviada” por ter recuperado todos os seus valores.

A líder do grupo já é conhecida pelas autoridades portuguesas. A mulher com alcunha “Doutora” costumava assaltar pessoas nos elétricos 15 e 28, tendo sido indicada anteriormente para sete crimes cometidos neste transporte. Devido a recentes detenções, na tentativa de evitar ser apanhada, a "Doutora" começou a atuar em outros locais, como a Baixa Chiado e o Marquês de Pombal.

As detidas foram interrogadas no Tribunal da Comarca de Lisboa - Juízo Criminal de Lisboa, tendo sido aplicada a duas delas a medida de coação de apresentações, e à líder do grupo a medida de coação mais gravosa de Prisão Preventiva, segundo o Diário de Notícias. 

O Comando Metropolitano de Lisboa da PSP, através da Divisão de Investigação Criminal, declarou que além destas três detenções, entre os dias 17 e 22 de maio, na freguesia de Santa Maria Maior foram detidos seis carteiristas devido a furtos de carteiras em locais turísticos.