Internacional

Mulher americana esteve perdida 17 dias no Havai

Segundo Amanda Eller foi a sua intuição que a salvou. 

Uma mulher foi encontrada na passada sexta-feira, depois de ter estado duas semanas desaparecida no Havai. Amanda Eller perdeu-se durante uma caminhada por uma das florestas da ilha, no dia 8 de maio. Durante os 17 dias que esteve desaparecida, caiu de um penhasco sofrendo uma fratura na perna, ganhou diversas feridas no joelho e uma queimadura grave no corpo.

Quando questionada sobre como conseguiu sobreviver, a instrutora de yoga disse em entrevista ao New York Times que “a única opção que tinha era a vida ou a morte” e confessou que a sua intuição foi o que a ajudou a sobreviver. “Eu ouvia uma voz que me dizia 'se queres viver, continua’ e assim que eu duvidava da minha intuição e tentava seguir um caminho diferente do que a voz me indicava, algo me impedia como, um ramo caía em cima de mim, eu batia com o meu dedo do pé ou caía” contou ao jornal americano.

A mulher tinha saído para passear no seu Toyota branco quando decidiu fazer uma caminhada pequena. Quando tentou encontrar o caminho de volta, perdeu-se, acabando por seguir na direção oposta à do automóvel. 

Quando souberam do desaparecimento da filha, os pais de Eller ofereceram uma recompensa de 10 mil euros a quem encontrasse a instrutora de yoga. Apesar de centenas de pessoas terem procurado a jovem, foram as autoridades que numa das buscas aéreas acabaram por avistar Eller, a resgataram e enviaram para um hospital. 

A mãe, Julia, disse aos jornalistas que a filha tinha sobrevivido a beber água das fontes naturais, ao comer diversas frutas das florestas, como framboesas e até mesmo mariposas. Apesar de lamentar a perda de peso de Eller, a mulher afirma estar muito orgulhosa da filha. "Ela tinha as habilidades certas e fez as coisas certas para ganhar tempo para que pudéssemos encontrá-la" declarou.