Politica

Costa afasta continuidade da geringonça num próximo Governo

"Aquilo em que conseguimos convergir tem sido suficiente para uma muito boa amizade, mas é insuficiente para podermos ter um casamento"

António Costa voltou a afastar esta segunda-feira, em entrevista à SIC, a continuidade da gerigonça no próximo Governo.

O primeiro-ministro realçou a boa relação que mantém com o BE e o PCP, mas defendeu que “não vale a pena estragar uma amizade, com um namoro mal sucedido”.

“A clareza das posições é muito saudável, mas obviamente também implica limitações sobre a intensidade da relação. Por isso é que eu costumo dizer que aquilo em que conseguimos convergir tem sido suficiente para uma muito boa amizade, mas é insuficiente para podermos ter um casamento. E é como as pessoas dizem: ‘não vale a pena estragar uma amizade, com um namoro mal sucedido’. Aqui é um caso assim”, destacou o socialista.

Já sobre os resultados das últimas eleições europeias, António Costa admite a formação de uma ‘eurogeringonça’.

“A grande alteração que houve nestas eleições é que, até agora, o PPE fazia maioria como qualquer uma das outras duas grandes forças. Agora, deixou de fazer, o que implica uma triangulação para fazer acordos mais alargados. A solução que tem de se encontrar no Conselho [Europeu] tem de ser combatível com a solução que se encontra no Parlamento Europeu. Obviamente que no quadro do Parlamento, os Verdes terão uma posição muito relevante, no Conselho não têm porque não estão”, referiu.