Sociedade

Detidas oito pessoas envolvidas em alegado esquema de corrupção na atribuição das licenças da Uber

Operação está a decorrer em Lisboa

A Polícia Judiciária (PJ) deteve esta terça-feira oito pessoas no âmbito de uma megaoperação de combate à corrupção na emissão de licenças de condução para motoristas de veículos descaracterizados de transportes de passageiros, a partir de plataformas eletrónicas.

Em causa estão crimes de associação criminosa, corrupção passiva para ato ilícito, corrupção ativa para ato ilícito, falsidade informática, violação de segredo por funcionários e atestado médicos falso, revela a PJ em comunicado.

"A operação mobilizou cerca 140 elementos da Polícia Judiciária, bem como dez Magistrados Judiciais e do Ministério Público, tendo sido realizadas mais de 40 buscas, domiciliárias e não domiciliárias, na zona de Lisboa, Lourinhã, Loures, Pinhal Novo, Óbidos, Santarém, Torres Vedras, Amadora, Peniche, Sintra, Almada e Cascais", adianta a autoridade.

O documento revela que o esquema de corrupção era "composto por diversos responsáveis de Escolas de Condução e de Centros de Formação homologados pela Entidade Pública competente, dois médicos, um advogado, um funcionário de Organismo Público e angariadores" que promoviam a "obtenção fraudulenta, através de formações fictícias" de certificados de aptidão para motoristas, "certificados de motoristas de transporte individual e remunerado de passageiros em veículos descaracterizados (CMTVDE) e de transporte coletivo de crianças" e atestados médicos falsos que visavam "a revalidação de licença de condução".

Os detidos serão presentes a tribunal amanhã, para primeiro interrogatório e para que lhes sejam aplicadas as medidas de coação tidas como adequadas.

"A investigação prosseguirá com vista à cabal identificação de todos os elementos comparticipantes desta rede, bem como à continuação da recolha de outros elementos prova", completa a PJ.