Politica

Governo pede desculpa aos utentes pelas supressões nos transportes públicos

Pedro Nuno Santos admite falhas nos transportes

O ministro das Infraestruturas e da Habitação endereçou um "pedido de desculpas às pessoas cujo dia-a-dia é afetado pelas supressões nos transportes".

Pedro Nuno Santos, que centrou a sua intervenção no Parlamento mais nas ligações ferroviárias, adiantou, que está a trabalhar num plano para recuperar a CP - Comboios de Portugal para níveis que o povo "legitimamente exige".

O "plano pretende, antes de mais, atuar sobre o curto prazo, isto é, travar a degradação de material circulante através do aumento da capacidade de resposta oficinal da empresa e do recrutamento de trabalhadores para o efeito", explicou.

"Os portugueses confiam nos transportes públicos no dia-a-dia para irem trabalhar, para levarem os seus filhos à escola, ou simplesmente para passear (...). Sabemos bem que é nossa obrigação servi-los com regularidade, pontualidade, qualidade e conforto. Sabemos bem que em alguns casos estamos em falta", reconheceu o governante.

O ministro deixou ainda a garantia de reunir "com o Ministério da Economia para planear novos investimentos que permitam recuperar capacidades industriais, tecnológicas e empresariais que o setor ferroviário já teve no passado" e que o Governo quer que volte "a ter no futuro".

Sublinhe-se que este pedido de desculpas foi feito no dia em que os ânimos se exaltaram no terminal de barcos do Barreiro, com a Soflusa a suprimir todas as ligações "por questões de segurança", não estando prevista hora para que os barcos seguissem para Lisboa.