Sociedade

Suspeito de violência doméstica em prisão preventiva por não se afastar da vítima

O arguido não respeitou as ordens judiciais, emitidas menos de dez dias antes da violação das mesmas.

Um homem, acusado da prática de um crime de violência doméstica, foi sujeito à medida de coação de prisão preventiva, no passado dia 24 de maio, mas violou as ordens judiciais que lhe foram inicialmente impostas.

Verificou-se que existe um “forte perigo de continuação da atividade criminosa”, tal como se pode ler no site da Procuradoria-Geral Distrital de Lisboa.

Foi provado que o suspeito voltou a contactar a ofendida – sendo que não se podia aproximar da mesma numa distância inferior a 1500 metros – e esteve perto da residência da mesma, ou seja, não respeitou as medidas que lhe foram impostas num primeiro interrogatório judicial.

A investigação está a ser realizada pelo Departamento de Investigação e Ação Penal de Lisboa com o auxílio da PSP.